Ainda na pequena infância as cores e formas já pareciam ser velhas amigas quando aos 3 anos palhaços nasciam no papel já nas primeiras experiências com  lápis e pincéis. Durante a adolescência foi através da poesia que os cantos profundos da alma de Georgia Cardoso receberam destaque na escola, sendo inúmeras vezes vencedora de concursos de poesia. 

Seguindo os caminhos artísticos propostos pela vida e pela terra, no ano de 2005 iniciou seu aprofundamento no universo do design na Universidade Federal do Ceará aonde mergulhou não só no mundo das ilustrações, mas no universo da fotografia. Em 2008, um conjunto de anseios possibilitaram um vôo alto até terras francesas em busca do desabrochar criativo. Inicialmente desenvolvendo estágios no circuito da moda francesa na cidade de Lyon, a pintura e o desenho desenvolveram-se nos momentos de liberdade e prazer. Sendo a pintura uma força que mostrou-se motivadora na criação, na liberdade e na espiritualidade. Graças ao encontro com artistas locais e o incentivo e reconhecimento recebido, os sonhos das ilustrações de moda saltaram alto até a capital francesa no ano seguinte, aonde os grandes formatos e acrílicos se transformaram em expressões da alma e da unidade. Entre setembro de 2009 e novembro de 2010, um circuito na vida parisiense entre aulas de pintura e desenho foram realizados na École Nationale Supériere des Beaux-Arts com os professores Gilles Marrey e François Mendras  e no Ateliê Saint-Fargeau  com Francine Auvrouin. De volta ao Brasil, em 2011, já na cidade de João Pessoa, realizou pós-graduação em Artes Visuais no Senac.

Georgia mostra através das suas telas a beleza interior aonde todos nós nos encontramos. O universo mágico e espiritual se materializa nu e cru, uma verdade simples e concreta, o encontro do sagrado e do profano. Água, terra, ar e fogo dialogam com as cores e com as temáticas que encarnam os mitos, arquétipos e anseios interiores da artista.  Inspirada em suas experiências espirituais, Georgia materializa em suas telas e murais o transcendental e o universo da beleza interior dessa árvore alimentada pela sensualidade e pelo prazer, confessando uma natureza selvagem e uma consciência espiritual que sonham incansavelmente se encontrar. 

Georgia é vida diluída em cores e formas cujos sentidos derramam-se num movimento interior, compartilhando com o espectador o encontrar a si mesmo transcendendo os limites do corpo e da matéria.